quinta-feira, 11 de setembro de 2008

no caminho .


E estava ela a caminhar com a outra em meio á escuridaão, conversando sobre as coisas boas da vida, as mais perigosas talvez, e saíram correndo, até que chegaram á uma casa, onde tinha duas pessoas no corredor da casa de uma delas, pareciam ser seu irmão e pai, ou alguma coisa da família, já que se tratavam com tanta intimidade. A visitante entrou, cumprimentou a todos da casa, nem sentou-se, foi direto é cozinha, onde a mãe da outra se encontrava, e esta lhe agradeceu por ter acompanhado-a até em casa, e que seu irmão iria levá-la de volta para sua casa, já que já estava tarde. E antes de sair, eles comeram uns bolinhos, com refrigerante e conversaram, as duas meninas, seu irmão e sua irmã. E foi passando a hora, quando a visitante anunciou que ia embora, ainda se demorou despedindo-se de sua mãe, de sua irmã e de sua amiga. E saiu, com o irmão desta conversando sobre outras coisas, já que eles se conhecem muito bem, embora nem pareça, mas eles dois tem muitos segredos. Eles saíram da casa num clima normal entre eles, já que eles dois são tão amigos. e foram andando na mesma escuridão em que ela tinha ido. Ela estava morrendo de medo daquele escuro, de aparecer alguém e fazer algum mal a eles. Mas ela estava aparentando estar segura com ele ali, ela parecia confiar na sua presença, tanto que nem se incomodou. De repente começaram a conversar, ali mesmo pelo caminho, sobre um assunto que toma os dois sempre que conversam: a relação deles. Eles dois são amigos, mas da parte dos dois tem aquela atração, aquela vontade de estar juntos, mas nunca revelavam-se. E conversando sobre essas coisas ele começou a dizer a ela que a sentiria do lado dele todas as noites se ela morresse, e que ia sentir muito pela sua morte. Ela modesta, brincou disse que ninguém chorara por ela, a não ser seus próprios familiares. E ele insistiu em dizer que sentiria ... depois de muita conversa entre eles, houve um momento que não deu pra adiar, ia ter que acontecer, mais cedo ou mais tarde, eles adiaram demais. E houve o tão esperado beijo entre eles, mais um segredo guardado. Ela foi rápida, mas ele pediu bis. Não que ela não quisesse, não pareceu que ela queria ir, mas ela teve que ir. Agradeceu a ele por aquilo, e viu ele partir, de volta á escuridão da noite. No dia seguiinte eles se trataram como amados, como se já tivesse acontecido há muito tempo, a sensação dela foi de que estavam como um só.

E pediu que ele desse a ela aquele presente novamente...




Beijos

4 comentários:

Biana França disse...

Olá, Fernanda
Sou amiga da Suelen e vim dar uma olhadinha no seu blog.
Que texto legal, falando de amor!
É seu mesmo?
Gostei.
Depois dá uma passadinha lá no meu blog tbm.
Bjus.

Biana França disse...

Então vou te linkar no meu. Ok?
Bjus.

Alone disse...

Nossa, que perfeito ! Vc retirou de algum livro? Adorei ♥

Juliana disse...

de onde vc tira essas histórias? inventa?? que bunitiinhoo eu fico imaginando tuudo!! hahahahha

beijooooooos

pseudo-poeta! :P APSODKPAS